sábado, 15 de janeiro de 2011

As marcas dos que que andam no Caminho

" O cristão torna significativas as coisas sem importância pelo espírito com que as realiza. O que vale não é aquilo que realizamos, mas sim o modo como fazemos as coisas - o espírito com que fazemos isto ou aquilo.Você poderá fazer grandes coisas com espírito tacanho e coisas pequenas com elevado espírito. Estêvão, foi grande não pelo que fez, mas pela maneira por que o fez. O espírito com que você faz isto ou aquilo é o aroma que embalsama o  feito e faz com que tal ato cheire bem ou mal. Estêvão "servia às mesas", mas fazia isso de tal modo que o servir às mesas se tornou coisa sacramental. Aquelas mesas ficaram sendo verdadeiras mesas do Senhor - 'A Mesa do Senhor'! E ao redor dela povos de todas as raças comiam o pão que se transformava em "O Pão". Estêvão foi um diácono que se tornou um farol - uma luz para todas as épocas, notadamente nos lugares-comuns da vida." (JONES, 1957, p.302).

JONES. Ely Stanley. O Caminho. 2ª ed.São Paulo: Imprensa Metodista, 1957.
Postar um comentário