terça-feira, 12 de março de 2013

O princípio e o fim | Devocional



O Senhor é o Alfa e o Omega, o princípio e o fim, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso. (Revelação de João)

Hoje estive conversando com minha sobrinha, Vitória, que me perguntou se o "alfa", era o mesmo que o primeiro ano. Respondi a questão, e ampliei (como sempre faço, e por vezes sou criticado) dando a ela mais curiosidade. A criança tem esta vantagem. Ela tem muitas coisas pela qual ainda vai conhecer. Eles ainda não fazem conjecturas, não se ligam na semântica, daí tudo o que se chega pra eles é novidade. O meu desafio com eles é, sempre que possível, fazer a resposta gerar ainda mais perguntas e, quem sabe, a possibilidade da descoberta gerar uma diversão.

Alfa, beta, gama, delta, pi, omega não me diziam nada pra além de ser uma letra. Eram letras que serviam apenas pra organizar, ou representar, algum tipo de valor, ou fórmula, dentro da ciência exata. Esta é/era o meu contato com esta informação. Para mais, eram as bases da escrita contemporânea que foi substituída pelo "ah, bê, cê..." que ao juntarmos formam as palavras e seus fonemas.

A Vi ainda não tem esta estrutura de conhecimentos para que se chegue a tanto, mas a fiz lembrar de algo que sua avó sempre diz: Jesus é o alpha e o ômega!

Eu ainda não sei se existia algum sentido filosófico, nos dias de João, para que Jesus se autorrepresentasse assim. Mas lendo um pocketbook e lembrando de uma organização bíblica que se faz no salmo 119, acredito que o conjunto de letras também representam espaços, lacunas, divisões, entre determinados tempos/assuntos afim de que fosse fácil a localização de algum tema. Quando eu penso que é assim, eu passo a fazer o exercício de enxergar Cristo participando das aberturas e fechamentos dos processos da minha alma.

Em uma das mais recentes, consigo ver a inicialização da conversão do meu entendimento ao modo de vida de um hebreu saindo da sua terra. Me lembro que, com muita restrição, disse que era Deus quem estava me mandando, considerando ser apenas uma casualidade da vida, mas hoje afirmo com autoridade que Ele me trouxe até aqui.


Só que o meu entendimento sobre o ser hebr-eu é limitado e por isto eu procuro estar atento aos alfas e omegas gerados pela caminhada de fé, a fim de que cada vez mais o meu caminhar já não seja conforme a casualidade, porém em tudo o que aconteça como vida, provoque em mim um novo passo de esperaça ao encontro de um novo André.

Forte abraço em todos.

André Luiz

Caminho Aracaju

Postar um comentário