segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Oi, cheguei! - Dinho, o dorminhoco

Ahhh, cheguei!
 
Oi filhão, estava lhe esperando...
 
Imagino mesmo, puotzzz, olha que horas são! Tá cada vez mais difícil chegar aqui.
 
É, eu sei (risos); mas é difícil PARA VOCÊ!!! Eis uma das vantagens de viver fora deste mundo doido, de seus compromissos, agendas, congestionamentos, ansiedades; me dá até pena!
 
Ué, até parece que tá supreso?!
 
Eu??? Imagina, só acho que é doidera mesmo, só isto! Mas vamos lá, senta aqui; tá com cara de cachorro sem dono; quer cafuné, quer que eu fique pirulando a orelha? 
 
É meu véio, tá meio feia a coisa; na verdade sou eu mesmo. Essa dor que não passa, preocupação, umas culpas bestas, sei lá cada sentimento e vontade que surgem! Tenho tomado até uns comprimidinhos, mas nada! Fica aqui dentro pulsando feito um coração concorrente...
 
Filhão, eu já senti isto e você sabe; é difícil ouvir isto, mas vai passar; claro que seria melhor se afastasse este cálice, como disse Jesus, mas vai passar.
 
Engraçado como antes eu lhe achava grande e eu pequeninho, agora que eu cresci, engano-me pensando que sou maior, mas chegando bem perto dá para ver o quanto sou pequeno e dependo deste chamego, de sentir criança de novo, de me achegar a seu peito, ouvir você dizer tudo isto!
 
Sabe que é engraçado moleque? O quanto é engraçado a gente demonstrar carinho; a gente paga cada preço por isto, custa a própria vida!
 
Acho que porque somos de gerações diferentes, a essência pode ser igual, mas demonstrar carinho é sinal de fraqueza, sabe que homem não chora né!?
 
Não chora pra fora! 
Até rimou rssss
Mas como você é meu eterno moleque-menino, pode chorar rsss
 
Rssss
Não quer saber se aprontei hoje, já que sou menino e moleque para você? rsss
 
Rsss, Cê acha realmente que eu não sei? Cara-de-pau você!!! Posso até ver tudo o que fez.
 
Ah, eu sei que agora não, está em outra fase, outro ciclo, mas você já esteve em minha pele, na minha idade, com meus hormônios rssss
 
Já, já... Por isto que eu sei! Já senti tudo isto, mas não era sem-vergonha!
 
Tá bravo?
 
Imagina, eu amo você, você terá um filho ainda e entenderá; você acha que me surpreendo com você? Se você se visse chupando sorvete de chocolate... era previsível a melequeira rsss Você cresceu e seus sorvetes são outros, mas a melequeira e a previsibilidade são iguais rssss
Mas tente ser mais limpinho, né porqueira? 
Lembra que sua avó dizia: Tenha bons modos menino? Então, digo o mesmo, na verdade ela quem dizia o mesmo que eu, por incrível que pareça, eu que a ensinei! rsss
 
Tá bom, eu sei, até por isto que tenho me sentido mal e mau, haja comprimidos...
 
Filho meu, esquente a cabeça não, eu levei sobre mim todas as dores, em minhas pisaduras você foi sarado, eu amei a você antes da criação do mundo; não carregue um peso que não é seu; já foi levado na cruz.
Só de você estar aqui, falando comigo, já é sinal que o seu peso foi levado, relaxa, desarme-se...
 
É DEUS, tentarei ser prático com tudo isto, obrigado pelo carinho; vou dormir, não sei se tudo isto é alucinação do sono, ou se quando eu falo com o Senhor, isto tudo acontece.
De qualquer forma é bom fantasiar com um DEUS que é bonzinho e carinhoso.
 
Ah se você soubesse meu filho, ah se você soubesse. Um dia saberá!
Durma com DEUS, opsss, durma comigo rssss
Já dormiu né!? Enquanto você dorme eu ainda vou fazendo umas coisas por e para você!!!
 
Dinho - o Dorminhoco
Estação ABC
Postar um comentário